Pesquisas trazem panorama do mercado dos games no Brasil e no Mundo

Recentemente duas pesquisas importantes para o mundo dos games foram publicadas. A primeira, do Google, apontou grandes diferenças entre a visão da geração z e dos millennials no mundo dos videogames. Outra publicação importante foi a Pesquisa Games Brasil 2017, que apresenta a evolução do mercado nacional. Vamos esmiuçar cara uma delas aqui, no WannaPlay.

O estudo "It's lit: a guide to what teens think is cool", realizado pela Google, YouGov e Gutcheck, apontou alguns dados interessantes sobre a relação dos jovens da nova Geração Z com o mundo dos games, principalmente em relação à geração anterior, dos Millennials.

A pesquisa em questão foi aplicada inteiramente nos Estados Unidos, com um universo total de 1.600 adolescentes da Geração Z (atualmente entre os 13 e 17 anos) e 800 jovens adultos da geração Millennials (entre os 18 e 25 anos) entre os meses de maio e julho de 2016.

Diferente dos Millennials, a Geração Z parece ter mudado bastante seu ponto de vista em respeito às marcas que permeiam nossa indústria.

Jogos eletrônicos estão entre as atividades prediletas dos jovens, segundo Pesquisas realizadas pelo Google.

Jogos eletrônicos estão entre as atividades prediletas dos jovens, segundo Pesquisas realizadas pelo Google.

Segundo a pesquisa os videogames foram apontados como a sexta atividade mais legal (cool) entre todas as relacionadas pelos jovens, sendo que a grande maioria dos apoiadores da mídia foram do público masculino, com apoio bastante reduzido do número feminino nos Estados Unidos.

A geração z apontou a marca Xbox como a mais legal entre os sistemas caseiros atuais, superando o PlayStation, enquanto a geração anterior, dos millennials, preferiam o sistema da Sony no lugar da Microsoft. Uma mudança importante para o mercado.

Para a geração z o Xbox figura em excelente posição como a quarta marca mais legal do mundo, com o PlayStation citado apenas na sétima posição. Nesta classificação o YouTube ficou com o título, seguido pela Netflix e pelo próprio Google no segundo e terceiro lugares, respectivamente. Já marcas como Nintendo e EA ficaram para trás na classificação, lembrando que a pesquisa foi realizada apenas nos Estados Unidos e antes do lançamento do novo console Switch, da japonesa.

Mesmo assim, entre as séries de jogos mais populares para os jovens z, nascidos entre 1999 e 2003, encontramos na ordem: The Legend of Zelda em primeiro lugar, seguida de Call of Duty: Black Ops, Grand Theft Auto, Pokémon, Minecraft e Counter-Strike: Global Offensive, completando as mais amadas.

Já entre as tecnologias, o VR (Realidade Virtual) e a AR (Realidade Aumentada) aparecem como as mais legais entre as tecnologias mundiais, seguidas pelos smartphones, em especial pelos iOS da Apple.

Além das mudanças relacionadas ao mercado dos videogames, o estudo apontou muitas outras mudanças que ocorreram entre a geração dos millennials e dos z, com alterações radicais nos pontos de vista de ambos grupos sobre marcas, produtos, mídias, atitudes e atividades.

Pesquisa Game Brasil 2017

Deste lado do hemisfério a Sioux, a Blend New Research e a ESPM se uniram para lançar a tradicional Pesquisa Game Brasil 2017, específica para quem deseja uma excelente visão do mercado nacional dos jogos eletrônicos.

No total 2.947 pessoas responderam à pesquisa entre os dias 01 e 16 de fevereiro de 2017, gerando um perfil completo e atualizado do público gamer do nosso país.

Mais uma vez as mulheres ampliaram sua diferença em relação aos homens, sendo que, dos declarantes que afirmaram jogar jogos eletrônicos, 53,6% foram mulheres enquanto 46,4% somam ao público masculino. Em 2016 as mulheres eram 52,6%, enquanto os homens somavam 47,4% dos jogadores.

Mulheres continuam em crescimento entre o público gamer do Brasil.

Mulheres continuam em crescimento entre o público gamer do Brasil.

Já no campo das idades, a grande maioria dos jogadores encontra-se na faixa dos 25 e 34 anos (36,2%), seguidos dos 35 aos 54 (31,4%), somando um total de 67,6% do público. Já os jovens de 16 até 24 anos somam 28,4% dos gamers, na terceira colocação entre as faixas de idade.

Entre as categorias de jogos preferidos por todos os jogadores, a Estratégia ficou com 50,9%, seguida pelos jogos de Aventura com 45%, Ação com 42,4%, Corrida com 38,9% e Cartas com 35%. Entre os homens e mulheres, o público masculino prefere jogos de Ação com 53,5%, enquanto as mulheres têm predileção pela Estratégia, com 48,9% da preferência.

Entre as plataformas de costume os sistemas mobile seguem na frente com 77,9% de adesão, principalmente das mulheres. Na sequência os computadores aparecem com 66,4% e a preferência entre os homens, seguidos dos videogames (consoles) que abarcam 49% da popularidade.

O que muda quando a questão é a preferência de plataformas não é a liderança do mobile, mas as posições entre consoles e computadores, que se invertem, com os consoles caseiros capitaneando a segunda posição entre os sistemas preferidos.

Já no mundo dos consoles a maioria dos jogadores ainda possui o Xbox 360 (44,2%) em suas casas, seguido pelo PlayStation  3 (29,2%), PlayStation 2 (26,5%) e PlayStation 4 (21,8%) na sequência. Apenas 16% possuem um Xbox One e 5,8% possuem um Wii.

Por outro lado o console preferido entre todos os respondentes foi o atual PS4, com 30,7% da preferência, enquanto o Xbox One ficou com apenas 13,2% da preferência, na quarta posição.

Apesar da grande adesão dos gamers, dentro do universo total 54,1% dos respondentes consideram-se apenas jogadores casuais, com apenas 29,7% se colocando na faixa dos hardcore.

Entre os motivos dos brasileiros para adquirir um jogo, o preço ficou em primeiro lugar seguido da afinidade com uma franquia, da popularidade entre os amigos, dublagem e localização e, por último, por influência dos reviews da imprensa.

Em resumo

Mais uma vez o gamer brasileiro se consolida com perfil multiplataforma, enquanto as mulheres continuam a crescer como principal público deste mercado. Outro crescimento em popularidade fica por contra dos smartphones, principal plataforma no país.

Uma grande mudança foi a relação de pais e filhos com os jogos eletrônicos, já que agora os pais consideram que jogar faz bem para seus filhos, se feito com cautela.

Os eSports seguem a tendência de 2016 e apresentam crescimento, majoritariamente com o aumento do número de fãs que assistem aos grandes campeonatos.

Para conferir todas as informações da pesquisa você pode baixar a versão gratuita ou comprar a versão completa no Site Oficial.

css.php